Silvia Calabresi é condenada a 14 anos de prisão

0
73
 juiz José Carlos Duarte, da 7ª Vara Criminal de Goiânia, condenou hoje (30) a empresária Silvia Calabresi Lima a 14 anos, 11 meses e 5 dias de reclusão e, ainda, a doméstica Vanice Maria Novaes a 7 anos e 11 dias de reclusão por crime de tortura cometido contra a estudante Lucélia Rodrigues da Silva, de 12 anos. As duas cumprirão suas penas em regime inicialmente fechado.
O marido da empresária, o engenheiro Marco Antônio Calabresi Lima, também foi condenado a 1 ano e 8 meses de detenção acusado por ter se omitido aos fatos. Por ter bons antecedentes, entre outros atenuantes, sua pena foi substituída por prestação de serviços à comunidade.
O juiz não apreciou a situação da mãe biológica de Lucélia, a dona de casa Joana D´arc da Silva – acusada de ter entregue a filha a Sílvia em troca de dinheiro. Seu julgamento será feito em outra oportunidade. Também acusado, como o pai, por omissão a tortura, o estudante Thiago Calabresi Lima, filho de Silvia, foi absolvido pelo juiz, que considerou não existirem provas suficientes para uma condenação.
Segundo o juiz, Silvia recebeu pena superior à de Vanice por ter cometido diretamente, e em maior número, os atos de violência que causaram conseqüências permanentes para Lucélia. Além disso, a tortura praticada pela empresária é considerada qualificada, enquanto a da empregada é considerada simples.
Portal A Voz - Inhumas