Índices de qualidade das rodovias de Goiás melhoraram, aponta pesquisa

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou nesta terça-feira, dia 7, pesquisa sobre a qualidade das rodovias brasileiras, com base na análise de três eixos: pavimentação, sinalização e geometria da via. Conforme o levantamento, a qualidade das rodovias brasileiras caiu em relação a 2016. Goiás, porém, obteve melhoras em todos os índices avaliados.

A CNT avaliou 6.665 quilômetros de rodovias goianas. No índice geral, Goiás saltou de 5,5% de ótimo, em 2016, para 7,7%, em 2017. A porcentagem de rodovias consideradas regulares saltou de 34,7%, em 2016, para 39,3%, em 2017. No índice pavimentação, as rodovias goianas melhoraram no quesito bom; com salto de 7,1% em 2016, para 15,5%, em 2017. Com relação ao eixo sinalização, as rodovias de Goiás obtiveram progresso no quesito ótimo: de 3,8%, em 2016, para 9,8%, em 2017.

A melhoria dos índices de qualidade reflete os investimentos realizados pelo governo estadual nas rodovias goianas nos últimos anos. A Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop) atua constantemente na manutenção das rodovias, por meio do programa Rodovida Manutenção.

Em abril deste ano, ao lançar o programa Goiás na Frente, o governador Marconi Perillo ressaltou que a infraestrutura, em particular a das rodovias goianas, seria priorizada. A Agetop realiza 39 obras rodoviárias por meio do Goiás na Frente. O investimento nessas obras é de R$ 651.963.522,10. Os recursos são oriundos da privatização da Celg.

No âmbito geral, em todo o Brasil, a CNT apontou que, em 2017, 38,2% das rodovias foram consideradas em bom ou ótimo estado, enquanto em 2016 o percentual era de 41,8%. A Confederação atribui a queda da qualidade à falta de investimentos na malha viária, sobretudo em razão da crise econômica dos últimos anos.

Os dados relativos a cada Estado podem ser acessados no portal: http://www.cnt.org.br/

Fotos: Renato Conde

Fonte: Gabinete de Imprensa do Governador de Goiás

Comentários

Comentários