49 queixas em apenas dois dias

0
252

A Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon/GO) recebeu 49 reclamações de consumidores insatisfeitos com os serviços dos call centers, nos dois primeiros dias de aplicação das novas regras para os Serviços de Atendimentos aos Clientes (SAC), estabelecidas pelo Decreto Federal 6.253/08 e pela Portaria 2.014/08, do Ministério da Justiça.
De acordo com a gerente de Atendimento ao Consumidor do Procon, Sara Saeghe Ximenes, as falhas mais comuns continuam sendo a demora para ter acesso ao item do menu para falar diretamente com o atendente e a falta de divulgação de números gratuitos das empresas.
No entanto, Sara aponta um novo complicador na resolução de problemas dos consumidores, trata-se do trauma. “Estamos muito preocupados com os consumidores, eles não estão ligando mais para os call centers, em razão das experiências frustradas com o serviço. Assim, eles procuram direto o Procon para resolver os problemas que deveriam ser resolvidos pelas empresas”, destaca a gerente de Atendimento ao Consumidor do Procon.
Com relação à declaração do ministro da Justiça, Tarso Genro, de que as empresas não confiam no poder regulatório do Estado, Sara condena o descrédito das prestadoras de serviços regulados pelo poder público federal. “Se elas não estão acreditando, deverão começar a acreditar porque nós iremos atuar firmemente para que o decreto seja cumprido e os consumidores, respeitados”, adverte.
Os resultados dos testes feitos pela fiscalização do Procon, que estão identificando as falhas no serviço de atendimento, serão divulgados hoje, às 9 horas, na sede do Procon, durante reunião com representantes do Ministério Público. Na ocasião, será firmada uma parceria entre MP e Procon e, ainda, serão anunciadas as medidas contra as empresas que desobedecem as normas.
O empresário Mendonça Souza procurou o balcão de atendimento do Procon para reclamar a sua insatisfação com uma prestadora de telefonia móvel. De acordo com Souza, desde o dia 28 de novembro a prestadora do serviço está inoperante, em razão disso o cliente da empresa não consegue recarregar os créditos de seu aparelho celular.
“Eu participo de uma promoção da qual recebo bônus para ligações, mas para isso devo ter créditos ativos, só que eu não consigo inserir esses créditos”, conta o empresário.
Contrariado, Souza ligou para reclamar e acabou ficando ainda mais nervoso. “Quase tive um choque anafilático de tanto ódio, depois de me transferirem para diversos atendentes, fui parar na Ilha de Segurança e aí fui alvejado por uma seqüência de perguntas, logo depois a ligação caiu”, critica. Mendonça já denunciou 43 empresas ao Procon e em todas elas obteve sucesso nas negociações. “O Procon realmente é um anjo da guarda e atende muito bem”, elogia o consumidor.
A reportagem do HOJE resolveu testar o SAC de uma das empresas que deveria cumprir as novas regras. Às 16h52 minutos, a reportagem ligou para a empresa de telefonia, o item para falar com o atendente era a última opção do menu, o tempo de espera para falar com o atendente foi de 17 minutos, no entanto, as novas diretrizes determinam que o tempo de espera seja de um minuto apenas.